Você está aqui: Home › Colunas › Ortopedia
Ortopedia
Lesões ligamentares do joelho
As lesões ligamentares do joelho são comuns em indivíduos que praticam esportes, sendo a lesão do ligamento cruzado anterior (LCA) a mais freqüente nos esportes de contato. A ruptura desse ligamento provoca uma frouxidão articular, principalmente nos movimentos rotacionais e causa, freqüentemente, incapacidade para a prática esportiva e desgaste articular. A reconstrução ligamentar tem como objetivo reconstituir o ligamento lesado, por meio da sua substituição por uma estrutura que assemelha-se ao tecido ligamentar, de forma que esse tecido seja funcionalmente eficaz.
Os resultados pós-cirúrgicos são avaliados quanto ao grau de frouxidão ligamentar residual, ao nível funcional, à alteração da acuidade proprioceptiva( sentir o joelho), à satisfação do paciente e quanto à presença de algumas complicações como a dor, o derrame articular, a limitação do movimento articular e a hipotrofia dos músculos da coxa, principalmente o músculo quadríceps( músculo da coxa). Em decorrência dessas avaliações, alguns autores, consideraram a reconstrução do ligamento como o fator primordial para a estabilidade articular e para o retorno à atividade física.
Considerando, ainda, a presença de frouxidão ligamentar residual após a reconstrução do LCA, existe estudos que demonstraram uma ausência de associação do nível funcional dos pacientes avaliados com sinais clínicos objetivos, tais como o teste de Lachman e o teste de pivot shift positivos; e com sinais clínicos subjetivos, tais como a presença de dor, da queixa funcional e da queixa de instabilidade. Esses autores concluíram que não existe relação direta entre nível funcional e grau de frouxidão ligamentar.
A hipotrofia do músculo quadríceps é outro fenômeno, freqüentemente, observado nos pacientes em pós-operatório de reconstrução do LCA. Alguns autores demonstraram, através dos estudos que incluíam a mensuração da força do músculo quadríceps, que o déficit encontrado entre membros pode ser observado até dois anos após a cirurgia. No entanto, esse déficit de força parece não ter relação com outras variáveis, como o nível funcional e a frouxidão ligamentar residual, demonstrando uma ausência de evidências que comprove a dependência direta da resposta muscular em decorrência da estrutura ligamentar. Dessa forma, uma vez que o objetivo final da reconstrução ligamentar é o retorno à atividade física, no mesmo nível pré-lesão, avaliar fatores neuromusculares e mecânicos pode ajudar a esclarecer como eles influenciam e/ ou determinam a estabilidade articular. Além disso, o entendimento desses mecanismos pode contribuir para elucidar a razão pela qual indivíduos mesmo após a reconstrução não
conseguem retornar à atividade física e ao mesmo nível funcional. I.Eitzen e colaboradores ortopedistas da Universidade Ullevaal da Noruega estudam 73 indivíduos com ruptura total unilateral do LCA agendada para cirurgia LCA com enxerto autólogo foram incluídos no estudo.Os autores queriam identificar as variáveis independentes que podem predizer se função do joelho vai voltar ao estado da pré lesão A função foi avaliada com Cincinnati Knee Score de pontuação dois anos após LCA. A força muscular do quadríceps , lesões meniscais e Short-Form-36 Bodily Pain sub score corporal ( avalia o estado emocional do paciente em relação a dor) foram identificados como preditores significativos para a função do joelho. Indivíduos que já tem no pré-operatório, déficit das forças do quadricipital acima de 20% também tinham significativamente maiores déficit de resistência dois anos após a cirurgia.

veja www.intramed.uol.com.br



Fonte: Br J Sports Med. 2009 Mar 17

 

 

Veja mais em "Ortopedia" [veja todos]

:: Apoio



:: Facebook

facebook

Desenvolvimento : Dexter's