Você está aqui: Home › Colunas › Fisioterapia
Fisioterapia
Medicamentos da artrose e embolia
A tromboembolia pulmonar é desencadeada pela imobilidade prolongada, bastante comum em longas viagens de avião em bancos apertados Daí vem o nome pelo qual já vêm sendo chamada: ?Síndrome da Classe Econômica?, em que os passageiros ficam praticamente imóveis, muitas vezes por mais de 8 ou 10 horas.
A tromboembolia pulmonar é causada pela formação de um coágulo que se desprende, em regra, da circulação venosa profunda dos membros inferiores e pode atingir os pulmões, causando a embolia pulmonar, que pode levar à morte súbita.
Os principais sintomas são dor torácica, falta de ar, tosse ,escarro sanguíneo e taquicardia. Em caso de suspeita, são solicitados exames como radiografias,eletrocardiograma , dosagem do dímero D, ecocardiograma, angiotomografia do tórax, cintilografia pulmonar e, se necessário, rastreamento para avaliar a presença de trombose venosa por meio de ultrassonografia de membros inferiores.Entretanto são medidas impossíveis de serem realizadas durante uma viagem, portanto, assim como na medicina em geral, a prevenção ainda é a melhor alternativa. Recomendam se que pessoas acima de 40 anos de idade, com histórico familiar de tromboembolia venosa ,devem viajar depois de um exame com o cardiologista e o pneumologista. Portadores de insuficiência cardíaca, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), câncer e doenças que geram hipercoagulabilidade do sangue, como a trombofilia, são também pacientes com fatores de risco aumentados nessas viagens longas com mobilidade reduzida .As autoridade medicas recomendam especialmente em viagens longas, seja de avião ou de ônibus, o uso de roupas largas, que não comprimam a circulação venosa. Também se deve exercitar as pernas com movimentos que provoquem contrações da panturrilha, e levantar da poltrona para pequenas caminhadas de hora em hora pelos corredores do avião. R. J. Fonseca e colaboradores do Laboratório de Tecido conjuntivo, Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, Universidade Federal do Rio de Janeiro, chama a atenção para o fato que muitas pessoas com artrose fazem uso da condroitina que tem propriedade anticoagulante e protetora
Estuda se os efeitos do sulfato de condroitina quimicamente sulfatado e sulfato de condroitina natural sobre o sistema de coagulação. O primeiro foi recentemente identificada como um contaminante das preparações de heparina e foi proposto como um anticoagulante alternativo. O mecanismo de ação destes polímeros sobre a coagulação é complexa e age em diferentes componentes do sistema de coagulação. Eles têm atividade anticoagulante independente, que predomina no plasma. Eles também têm atividade anticoagulante mas diferem significativamente nos protease da coagulação e serpin alvo preferencial. Seus efeitos anticoagulantes diferem ainda mais acentuada quando testados como inibidores de proteases da coagulação . É possível que a diferença é devido à alta disponibilidade de sulfato de condroitina. Considerando que o sulfato de condroitina sulfatada tem forte ligação às proteínas plasmáticas inespecíficas e à baixa disponibilidade para a ligação a elementos que interferem na coagulação. Quando testado usando um modelo experimental de trombose venosa, sulfato de condroitina oversulfatada é menos potente como agente antitrombótico do que o sulfato de condroitina. Esses resultados são relevantes, devido à necessidade urgente de novas drogas anticoagulantes ou de fontes alternativas de heparina.




Fonte: Thromb Haemost. 2010 May 3;103:994-1004

 

 

Veja mais em "Fisioterapia" [veja todos]

:: Apoio



:: Facebook

facebook

Desenvolvimento : Dexter's