Você está aqui: Home › Colunas › Postura
Postura
Flexibilidade e autonomia a idosos em casa
Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) a expectativa de vida dos brasileiros tem aumentado significativamente. Em pesquisa divulgada em dezembro 2010, o Instituto revelou que em 2009 o indicador chegou a 73,1 anos. Há uma década, a expectativa média era de 70 anos.
Até então era comum que ao envelhecer as pessoas fossem morar com seus filhos ou em asilos e casas de repouso. Atualmente, muitas optam por continuar vivendo em suas casas o máximo que puderem. Para isso elas perceberam a necessidade de contar com alguém para ajudar com as tarefas do dia a dia quando tenham alguma limitação, para acompanhá-las em consultas médicas, em compras no supermercado ou quaisquer atividades que elas não possam ou não queiram realizar sozinhas ou que naquele momento não tenham uma pessoa da família disponível para ajudar.
Diante desta realidade surge um novo profissional: o cuidador de idosos. Diferentemente do trabalho de enfermeiros, os cuidadores auxiliam os idosos
que não necessariamente estejam com a saúde debilitada. Eles realizam atividades que vão desde cuidados com a higiene, como banhos, a atividades
de socialização e auxílio para locomoção, companhia para passeios e até ajuda na administração da casa, como limpezas leves e verificar se faltam alimentos na dispensa.
E. Thumé e autores brasileiros da Faculdade de Medicina do Rio Grande do Sul estudam esse tema .Avaliaram a utilização de cuidados ao domicílio dos idosos no Brasil após a implementação do Programa Saúde da Família ( PSF) Os dados foram obtidos de um estudo em uma cidade do sul do Brasil. Os autores testaram a seqüente hipótese que depois do programa PSF
aumentou a utilização de cuidados domiciliares em comparação com a utilização do atendimento na Atenção Básica de Saúde tradicional do SUS Foram entrevistados 1.593 moradores com 60 anos ou mais.A utilização dos serviços de cuidadores do Home Care de pacientes que estavam no âmbito da PSF foi de 2,7 vezes maior que o uso desse tipo de atendimento no atendimento basico do ambulatorio do SUS O seu uso crescente foi entre os mais velhos , os menos instruídos, aqueles com histórico de internação, e aqueles com limitações funcionais .Os autores concluem que melhoria no acesso aos cuidados dos pacientes com os cuidadores resultaram em maior utilização de cuidados domiciliários. Estes resultados são importantes porque a população está envelhecendo e a estratégia do Programa Saúde da Família atua nas áreas mais pobres, portanto, pode promover a equidade no acesso aos cuidados de saúde em casa entre os idosos.

.



Fonte: Am J Public Health. 2010 19 de agosto.

 

 

Veja mais em "Postura" [veja todos]

:: Apoio



:: Facebook

facebook

Desenvolvimento : Dexter's