Você está aqui: Home › Colunas › Fibromialgia
Fibromialgia
Anti-depressivo e suicídio
Milhões de pacientes deprimidos, em todo o mundo, são tratados com alguns medicamentos chamados de inibidores seletivos da recaptação da
serotonina (SSRI, na sigla em inglês). Na reumatologia esses medicamentos são usados na fibromialgia e nas dores crônicas. As substâncias básicas desses medicamentos regulam a atividade de um neurotransmissor chamado de serotonina, existente no cérebro, que melhora o humor, afastando a melancolia e a tristeza. Esses medicamentos também foram designados como pílulas da felicidade. No início da década de 90, quando esses medicamentos surgiram no
mercado a Administração de Alimentos e Remédios dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) declarou, que os SSRI não tinham relação
alguma com a ocorrência ou aumento do risco de comportamentos suicidas nos voluntários que tomaram SSRI, quando comparados aos pacientes
deprimidos, pois esses tinham um risco notavelmente menor de apresentarem sintomas suicidas. Houve alguns poucos casos, alguns
divulgados nos noticiários, na mídia, de pacientes deprimidos que tentaram o suicídio quando estavam em tratamento com medicamentos
do tipo SSRI. Nesses casos é impossível saber, se o responsável pelos incidentes foi a doença ou o tratamento. Porém, todas as drogas têm
efeitos colaterais, e os SSRI não são exceção. Sabe-se que entre 5% e 10% dos pacientes com depressão grave acabam cometendo suicídio, porém o risco do suicídio do deprimido com o tratamento é muito menor que o da depressão não tratada.
A. Khan e colaboradores, psiquiatras, da Northwest Clinical Research Center, da cidade de Washington, examinaram o prontuário de 48.277
pacientes deprimidos que participaram em ensaios clínicos dessas drogas em que 77 cometeram suicídio. Comparando os casos baseados em número de anos que os pacientes tomavam a medicação, foi observado naqueles que tomavam SSRI a incidência de 0,59% de suícidio, e nos que tomavam outros anti-depressivos a taxa foi de 0,76%, e o grupo que tomou placebo foi de 0,45%.
Fonte: Am J Psychiatry. 2003 Apr;160(4):790-2

 

 

Veja mais em "Fibromialgia" [veja todos]

:: Apoio



:: Facebook

facebook

Desenvolvimento : Dexter's