Você está aqui: Home › Colunas › Psicologia
Psicologia
Dor no doente com Câncer
A dor é um sintoma freqüente em doentes com câncer. É um sinal de alerta que, muitas vezes, permite o diagnóstico da ocorrência ou da
progressão da doença. As síndromes álgicas que se manifestam nos doentes oncológicos, são geralmente mais incapacitantes do que se
manifestam em outras condições. A dor associada ao câncer representa menos de 5% das síndromes
dolorosas crônicas. Manifesta-se em 30% a 70% dos doentes em todos os estágios evolutivos da doença neoplássica; é observada em 20% a 50%
dos casos quando do diagnóstico, em 70% a 90% quando a doença é avançada. É muito intensa em 25% a 30% dos doentes. A ocorrência de dor, varia de acordo com órgão que sedia o tumor primário e a natureza da neoplasia. Geralmente, o medo do câncer está mais relacionado à possibilidade da ocorrência de dor, do que com a perspectiva de sobrevinda. Parece não haver relação entre ocorrência de dor e a atividade da doença, número e locais de metástases, características sexuais, idade, escolaridade,
renda percapita, atividade ocupacional remunerada e ciência, pelos doentes, do diagnóstico da doença oncológica. A dor é mais freqüente quando a neoplasia localiza-se em áreas muito inervadas, como na região cervicocefálica (pescoço e cabeça) e pelviperineal (baixo ventre e região dos órgãos sexuais), é mais intensa nos doentes deprimidos ou com conhecimento escasso sobre dor e analgesia. R.E. Coleman, médico oncologista do Weston Park Hospital da cidade de Sheffield, Inglaterra, fez uma revisão da aplicação de bisfosfonatos em metástases ósseas. O osso é um local preferido para abrigar as metastases de muitos tumores. Essas metástases trazem complicações associadas a dor grave do osso, a fratura patológica (principalmente devido a osteoporose), a compressão do canal espinal (com dores na coluna), e a hipercalcemia maligna (aumento exagerado de temperatura). Bisfosfonatos é o medicamento padrão, usado atualmente no cuidado para impedir complicações esqueléticas das metástases. Esses medicamentos em doses menores são usadas no tratamento da osteoporose. Ácido zoledrônico, pamidronato, clodronato e ibandronato são usados nos pacientes com câncer de mama. Em pacientes com câncer de próstata, o clodronato, etidronato pamidronate e ácido zoledrônico, tem mostrado uma eficácia para combater a dor óssea.
Fonte: Oncologist. 2004;9 Suppl 4:14-27

 

 

Veja mais em "Psicologia" [veja todos]

:: Apoio



:: Facebook

facebook

Desenvolvimento : Dexter's