Você está aqui: Home › Colunas › Fibromialgia
Fibromialgia
Os descendentes dos fibromialgicos
Acredita-se que tanto a fibromialgia, como a artrite reumatóide tenham um caráter hereditário, isso significa que os descendentes de pacientes com essas duas doenças, tem mais chances de terem essas doença. Chances ou fatores de risco de terem uma doença, são denominados em epidemiologia de odds ratio (expressão em inglês, que seria razão de risco). Mas a grande parte dos decentes, não tem uma ou outra dessas doenças de forma completa. Tanto na artrite, como na fibromialgia quando presentes, apresentam dois sintomas, dor e depressão de forma nítida, assim seria importante saber se somente esses dois sintomas são transmitidos para os descendentes.
L.M.Arnold e colaboradores, reumatologistas da Universidade de Cincinnati estudaram os descendentes dos pacientes com fibromialgia, e os descendentes dos pacientes com artrite rumatóide, em relação a presença de sensibilidade à dor e a presença de distúrbios relacionados à depressão. Os autores tomaram o cuidado de que esses descendentes, não tivessem nenhum desses dois diagnósticos já firmados, anteriormente. Os
descendentes tinham idade variando de 40-55 anos, e tinham pelo menos um descendente acima de 18 anos de primeiro grau para a entrevista, e disposto a ser examinado para a pesquisa de pontos dolorosos, através de um dolorimetro. As informações foram coletados de 533 parentes, de 78 pacientes com fibromialgia, e 272 parentes de 40 pacientes com Artrite reumatóide, feita a análise estatística, observou-se que os descendentes de um paciente com fibromialgia tem um fator de risco (OR) 8,5 vezes maior de terem pontos doloridos no corpo (sem terem a fibromialgia), quando comparados aos dscendentes de pacientes com artrite reumatóide. O odds ratio (OR) foi 8,5 vezes maior (intervalo de confiança de 95% variando de 2.8-26, P = 0,0002). O número de pontos doloridos (tender points) foi significativamente maior nos descendentes dos fibromialgicos do que nos descendentes dos artríticos. Os distúrbios depressivos nos decentes dos fibromialgicos foram maiores do que nos descendentes dos artríticos. Existe pois um fator de risco (OR) de 1,8 vezes maior de terem um distúrbio depressivo do que os descendentes de um artrítico. Assim o odds ratio (OR) foi 1,8 vezes maior (IC de 95%, variando de 1,1-2,9, P = 0,013). Concluem os autores, que tanto essa sensibilidade à dor, como a tendência depressiva está mais freqüente entre os fibromiálgicos, do que entre descendentes dos artríticos, mesmo que não tenham essas duas doenças. Esse fato chama a atenção para a possível influência da hereditariedade desses dois sintomas, dor e depressão na fibromialgia.
Fonte: Arthritis Rheum. 2004 Mar;50(3):944-52

 

 

Veja mais em "Fibromialgia" [veja todos]

:: Apoio



:: Facebook

facebook

Desenvolvimento : Dexter's