Você está aqui: Home › Colunas › Educação Física
Educação Física
Perda de peso e pressão sangüínea
A perda de peso parece ser um método eficiente para a prevenção da hipertensão. Mas quais são os efeitos a longo-prazo da perda de peso sobre a pressão sangüínea?
V J. Stevens e colaboradores, de uma companhia de Seguro Saúde de Portland, no Estado de Oregon, E.Unidos analisaram os estudos que testam a eficácia das intervenções de perda de peso na redução da pressão sangüínea durante um período de três a quatro anos. Homens e mulheres de 30 a 54 anos de idade que apresentavam, sem o uso de medicação, pressão arterial diastólica de 83 a 89 mmHg e sistólica menor de 140 mmHg, além de estarem com 110% a 165% de seu peso corporal ideal, como valor basal, foram divididos em dois grupos: Grupo A, com 595 pacientes para realizar uma perda de peso, e o grupo B, com 596 pacientes com os cuidados usuais para hipertensão, usando medicamentos.
A perda de peso incluiu um programa de três anos de reuniões em grupo e aconselhamento individual focados na alteração nutricional, na atividade física e no suporte social. Os dados da pressão sangüínea e do peso foram coletados a cada seis meses por uma equipe que desconhecia o motivo do tratamento.
A média de alteração de peso, a partir do controle inicial no grupo A, foi de -4,4 kg em seis meses, -2,0kg em 18 meses e -0,2kg em 36 meses. A alteração média de peso no grupo B, nos mesmos períodos de tempo foi de 0,1kg, 0,7kg e 1,8kg. A pressão sangüínea estava significativamente mais baixa no grupo A nos meses 6, 18 e 36. Um subgrupo de pessoas que havia perdido pelo menos 4,5 kg em 6 meses e mantiveram essa redução de peso pelos 30 meses seguintes apresentou a maior redução da pressão sangüínea.
Fonte: Annals Internal Medicine. 2/1/2001 ;134(1):1-11

 

 

Veja mais em "Educação Física" [veja todos]

:: Apoio



:: Facebook

facebook

Desenvolvimento : Dexter's