Você está aqui: Home › Colunas › Osteoporose
Osteoporose
Reposição hormonal como fica?
O Instituto Nacional de Saúde dos E.Unidos, apresentou um estudo sobre os efeitos da Reposição Hormonal, que trouxe enorme polêmica. Compararam 8506 mulheres que usaram em conjunto estrôgenios (eqüinos - conjugados) e progesterona (medroxi), por via oral, com um grupo controle de 8102 mulheres que não usaram nenhuma medicação (placebo).
Houve um aumento do risco do câncer de mama, diretamente relacionado com tempo de uso dessa reposição hormonal, mas houve uma maior proteção em relação à osteoporose.
Esse tipo de reposição, não diminuiu o risco de doenças cardiovasculares, ao contrário, o risco aumentou, particularmente, nas mulheres que já tinham algum problema nessa área. Outro estudo, publicado em 1998 já demonstrara que a reposição hormonal não servia como prevenção de novos ataques para as mulheres que tinham doença cardiovascular mas, que a prevenção era para mulheres sadias.
Algumas conclusões:

1) Mulheres com mais do que 55 anos que estão usando reposição hormonal, há mais de 4 ou 5 anos, por via oral, semelhante a que foi estudada, devem interromper a medicação, com maior razão as que têm doença cardiovascular de qualquer tipo e essa medicação pode ser substituída por outras;

2) Mulheres que retiraram o útero e usam só estrôgenios na reposição hormonal, podem continuar a usá-lo;

3) Já há estudos com outros hormônios, doses mais baixas e vias diferentes, que parecem ter um efeito melhor sobre doença cardiovascular e a osteoporose;

4) Os fitoestrogênios são eficientes para melhorar ondas de calor e lubrificação vaginal. Os medicamentos conhecidos como Serms diminuem, comprovadamente, o risco do câncer mamário;

A reposição hormonal, precisa ser feita, individualizando-se cada caso, com seguimento constante.
Fonte: Medscape Womens Health 2002 Jul-Aug;7(4):9

 

 

Veja mais em "Osteoporose" [veja todos]

:: Apoio



:: Facebook

facebook

Desenvolvimento : Dexter's