Você está aqui: Home › Colunas › Reumatismo
Reumatismo
Nódulo Reumatóide e gânglios
A artrite reumatóide é uma síndrome reumática crônica, deformante caracterizada por inflamação e quase sempre simétrica das articulações periféricas (mãos, pés), resultando em destruição progressiva das estruturas articulares, a doença causa manifestações generalizadas, nos órgãos internos como pulmões, rins, cérebro etc... A etiologia é desconhecida. As alterações podem ser iniciadas por múltiplos fatores. Acredita-se que no Brasil existam cerca de 170.000 pessoas com a artrite reumatóide (1% da população de todas as
idades); as mulheres tem 2 a 3 vezes mais que os homens. O início pode ser em qualquer idade, mas a ocorrência mais freqüente entre as idades de 25
e 50 anos. Existe na pele e perto das articulações o nódulo reumatóide, que é observado em 30 a 40% dos pacientes com artrite reumatóide, e está
localizado no subcutâneo em locais sujeitos a traumas. O nódulo é uma lesão patológica da pele muito característica, que quando presente fecha o diagnóstico da doença. É um granuloma necrobiótico inespecífico, consistindo de uma área necrótica central, circundada por células mononucleares em ?paliçada?, com seus eixos longos radiando do centro, todo envolvido por linfócitos e células plasmáticas. O que chama atenção que esses nódulos junto com uma vasculite associada, podem ser encontrados na necropsia de muitos órgãos viscerais em casos graves de artrite reumatóide, mas são só clinicamente importantes em apenas uns poucos casos da doença, mas tem sido pouco valorizados. M.Calguneri e colaboradores, reumatologistas da Universidade de Hacettepe em Ankara, na Turquia, chamam atenção para outros nódulos, que são os gânglios tanto na artrite reumatóide (AR) como no Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES). Foram estudados a presença dos gânglios em 100 pacientes com LES ativa, 100 pacientes com AR ativa, 100 pacientes com espondilite ancilosante e 150 pacientes com artrose. Encontraram em vários lugares do corpo gânglios aumentados em 82% pacientes com AR (principalmente na região axilar) e em 69% pacientes com LES (gânglios menores e mais espalhados pelo corpo). Segundo os autores os gânglios e não os nódulos reumáticos da pele
desaparecem quando a doença não está em atividade. Os autores acreditam que os gânglios podem ser um parâmetro para medir a doença em atividade.
Fonte: J Int Med Res. 2003 Jul-Aug;31(4):345

 

 

Veja mais em "Reumatismo" [veja todos]

:: Apoio



:: Facebook

facebook

Desenvolvimento : Dexter's