Você está aqui: Home › Colunas › Psicologia
Psicologia
Menos horas com oclusão no estrabismo
A duas formas mais comuns de estrabismo são a esotropia, onde os olhos são desviados para dentro, e a esotropia quando o são para fora. A esotropia é a forma de estrabismo mais comum em crianças. As crianças que nascem com esotropia não aprendem a usar os dois olhos ao mesmo tempo, e podem não enxergar bem
do olho (mais fraco). Em alguns casos, é necessário uma cirurgia precoce para colocar os olhos paralelos, na tentativa de obter visão binocular e prevenir a perda permanente da visão no bebê ou na criança. O objetivo da cirurgia ocular é ajustar a tensão muscular em um ou ambos os olhos, com a finalidade de mantê-los alinhados. Na esotropia, que ocorre após os dois anos de idade, uma causa freqüente para o aparecimento do estrabismo é a alta hipermetropia (dificuldade de focar os objetos, por isso precisam usar óculos). O tratamento cirúrgico do estrabismo não substitui o uso dos óculos nem o tratamento da ambliopia. Após a cirurgia, os olhos poderão estar quase, mas não perfeitamente paralelos, apesar da avaliação clínica completa e da boa técnica cirúrgica (informações da Clínica IMO). T.Wygnanski-Jaffe e colaboradores, da Sheba Medical Center, Tel Hashomer, de Israel investigaram com oftalmologistas especializados no atendimento de crianças, se estão indicando menos tempo de oclusão dos olhos no estrabismo leve. Cerca de 107 médicos responderam um questionário enviado pelo correio, 50% deles já tinham reduzido, 28% do tempo (p=0,0005) comparado com o que faziam em 2003. Mas a maioria ainda reluta só recomendar 2 horas por dia, como mandam os novos protocolos Veja em um outro artigo sobre estrabismo.
Fonte: J AAPOS. 2007 May 25

 

 

Veja mais em "Psicologia" [veja todos]

:: Apoio



:: Facebook

facebook

Desenvolvimento : Dexter's