Você está aqui: Home › Colunas › Ortopedia
Ortopedia
Nova técnica para Alongamento Ósseo
A fratura difamaria exposta da tíbia, é a segunda mais freqüente dentre os ossos longos, sendo apenas menos freqüente que as dos ossos da mão. Por se tratar de lesões tão freqüentes, muito se discute na literatura sobre a melhor forma de abordagem, principalmente pela associação dessa fratura com um grande número de complicações precoces e tardias. Trata-se de trauma que se caracteriza por lenta reabilitação, afastando o paciente de suas atividades laborativas, o que se reflete diretamente no custo financeiro e social gerado pelo trauma. Nos últimos 50 anos, os ortopedistas tem quatro métodos, dependentes apenas da avaliação clínica e radiográfica para tratamento: a) conservador com aparelhos gessados e/ou órteses; b) uso de fixadores externos; c) redução cirurgia com placas de osteossíntese; d) redução a foco fechado com uso de hastes intramedulares. Esses tipos de tratamento, entretanto, impõem longo período de afastamento das atividades laborativas. O uso dos fixadores externos teve o seu apogeu com o aparelho de Ilizarov. De uso temporário, de maneira emergencial, deve ser secundariamente substituído, de maneira definitiva, por métodos que empregam a osteossíntese interna: placas ou hastes. A técnica de redução cirúrgica e osteossíntese com placa e parafusos pouco evoluiu com o tempo. Agora os pacientes com essas fraturas, e que tiveram um encurtamento de um dos membros, podem ser tratados com haste intramedular bloqueada. O método de alongamento ósseo com haste intramedular expansível, considerado minimamente invasivo e de pequeno número de complicações, substitui as técnicas tradicionais de alongamento ósseo com Ilizarov que, em muitos casos, provocam conseqüências como traumas psicológicos e rigidez articular, além de longos períodos de tratamento. Por meio desse novo método, a cirurgia é mais rápida e o paciente fica sujeito a um tempo muito inferior de internação. Por ser minimamente invasiva, são feitos apenas três pequenos cortes na perna do paciente, por onde é colocada a haste intramedular expansível, conhecida como ISKD - Intramedullary Skeletal Kinetic Distractor. Este equipamento é então programado para expandir 1mm por dia, num total de até 8 cm, de acordo com a necessidade do paciente. A técnica permite o alongamento ósseo de pessoas que sofreram traumas em acidentes, ou mesmo para quem quer aumentar sua estatura por questão estética. S.Hankemeier e colaboradores, ortopedistas da Faculdade de Hannover experimentaram essa tecnologia de alongamento, e notaram que os pacientes se queixavam de poucas dores durante a internação. A média de permanência no hospital foram de 10 dias, e de ambulação com apoio total das pernas permaneceram mais 10 semana e consolidação da fratura foram obtida em 80 dias, com um crescimento médio de 2,9 dias para um milímetro.


Fonte: Arch Orthop Trauma Surg. 2004 Mar;124(2):129-33

 

 

Veja mais em "Ortopedia" [veja todos]

:: Apoio



:: Facebook

facebook

Desenvolvimento : Dexter's