Você está aqui: Home › Colunas › Postura
Postura
Neurocirurgia com o paciente acordado
Neurocirurgia com o paciente acordado é um método ainda pouco explorado no Brasil. Essa opção permite uma série de ganhos tanto para o paciente tanto quanto para a equipe médica. Há regiões do cérebro muito delicadas, que podem ser afetadas quando a operação é realizada com a pessoa completamente anestesiada. Com o paciente acordado, é possível operá-lo sem prejudicar as funções cognitivas (memória, conhecimento etc.) e motoras (ação de músculos,
ficar de pé) e alterar o rumo da cirurgia caso seja necessário. Para que o paciente não sinta dor, é aplicada uma droga anestésica específica. Em
geral, a cirurgia é utilizada em pacientes com tumores cerebrais. Um dos grandes ganhos é poder operar tumores que antes eram considerados
inoperáveis devido aos riscos que a cirurgia acarretava ao paciente. A neurocirurgia com o paciente acordado é um procedimento altamente complexo. Por isso, antes de ser realizada, é preciso bastante cautela e preparação. A
primeira neurocirurgia com o paciente acordado para retirada de tumor foi realizada no início da década de 70 por George Ojemann da Universidade de Washington; o método chegou ao Brasil no início do século XXI. Ao longo da
operação, a equipe médica pode aplicar uma série de estímulos ao cérebro, obtendo retorno imediato do que a pessoa está sentindo. Assim, não se corre
o risco de o tumor ser retirado atingindo uma parte essencial para uma função da fala ou movimento. Não adianta realizar uma cirurgia que deixe uma
série de seqüelas que vão ficar para a vida toda. Agora, podemos contribuir ao máximo para a qualidade de vida do paciente.
M.Boulton e colaborador, neurocirurgiões da Universidade de Toronto, Canadá. já usam ha 11 anos essa técnica para fazer as cirurgias e biopsias
de tumores. A alta no mesmo dia foi obtida em 109 (93%) dos 117 casos de biopsias e 136 (94%) das 145 casos de cirurgia, somente 2 casos (1.5%)
tiveram que ser re-operado. Houve uma piora neurológica em 5.1% dos casos de biopsias e de 5.5% dos casos de cirurgia . Não houve nenhum caso de efeito adverso da neurocirurgia .



Fonte: J Neurosurg. 2008 Apr;108(4):649-54.

 

 

Veja mais em "Postura" [veja todos]

:: Apoio



:: Facebook

facebook

Desenvolvimento : Dexter's